My sounds

sexta-feira, 24 de maio de 2013

Livre

Descalço, sem cadarços, solto...
Completamente disponível à novas possibilidades.
Caso a solidão vier, diz que já tenho companhia,
E estou deveras ocupado em articulações contra
Esse meu medo bobo de ser feliz.
Abri os olhos e fugi.
Fui bem recepcionado.
Aconchegante.

sábado, 18 de maio de 2013

Incompleto


Sou quase tudo que falam sobre mim,
todavia nem tudo que falam de mim é verdade.
Definir-me causa trabalho, muito trabalho.
Imensurabilidade de homem-balão,
fugacidade etérea do ser no espaço.
Mau de bom? Pule e descubra.

Avesso

E daí, que num sábado chuvoso, eu entro no seu mundo e vejo você.
Paradoxalmente, despido e misterioso.
Querendo tragar-me através dos acordes febris das marés de março.
Refletindo-me, encontrando-me e dizendo, quase de maneira gutural: "Eu existo e sou assim."
E, através do strip-tease da sua alma, abriu as portas, pegou em minha mão, e eu entrei.



Mergulhado em você

Você é um tsunami em mim.
Chega sem avisar, me molha todo,
e vai embora sem ao menos dizer adeus...
Confesso, sua onda me levou.
Pra uma ilha onde nos descobrimos.
E, mais uma vez, encharquei-me de ti.
Por entre as ondas do Atlântico mergulhei em você,
refletindo-me na pureza das suas águas.
Ousar mensurar-te? Não, isso eu não faria.
Pois sua grandeza é maior que os cinco oceanos.
Lava-me, embebeda-me, afoga-me em ti e,
por uma única vez, diz que a molhei também.